Aprovada assistência integral a alunos com transtornos de aprendizagem

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou, nesta quinta-feira (30), substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 402/2008, que obriga o poder público a oferecer um programa de diagnóstico e tratamento precoces a alunos da educação básica diagnosticados com dislexia, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou qualquer outro transtorno de aprendizagem.

O voto favorável à proposta substitutiva (PL 3.517/2019), que segue para votação em Plenário, foi dado pelo relator, senador Flávio Arns (Podemos-PR).

A principal alteração quanto ao projeto original é ampliar o público-alvo dessa política de acompanhamento integral. Com isso, as medidas poderão ser aplicadas, por exemplo, a alunos com disgrafia ou discalculia. 

Originalmente, a proposta oriunda do Senado, de autoria do então senador Gerson Camata, já falecido, restringia a assistência integral a estudantes com dislexia e TDAH. Os deputados estenderam a rede de serviços e cuidados a quem apresentar qualquer tipo de transtorno de aprendizagem.

O relator reconheceu persistirem lacunas no preparo dos profissionais de ensino para lidar com transtornos de aprendizagem e na oferta de assistência educacional adequada para alunos com esses diagnósticos. 

O ponto de partida para interferir nessa realidade é o reconhecimento institucional desses transtornos, segundo Arns. Sem esse reconhecimento, as dificuldades de aprendizagem das pessoas desses segmentos continuarão a ser naturalizadas e atribuídas a razões de outra natureza.

— Não é preciso muito esforço para se constatar que, passados mais de uma década desde a apresentação da iniciativa, persistem, na realidade das escolas e de nossos educandos com transtornos de aprendizagem, as motivações que ensejaram o projeto — expôs o relator.

Inovações 

Outro avanço proporcionado pelo PL 3.517/2019, na visão de Arns, é possibilitar a extensão desse acompanhamento de aprendizagem a transtornos que venham a ser descobertos no futuro. 

— Isso é relevante, especialmente se ponderarmos que esses transtornos têm origem bioneurológica e o contexto de mudanças intensivas e instabilidade que vivenciamos tende a acentuá-los. Estimativas da Associação Americana de Psiquiatria indicam que entre 5% e 15% das crianças em idade escolar têm dificuldades de aprendizagem — destacou o relator. 

Arns alertou que, na hipótese de não serem diagnosticados e tratados tempestivamente, esses transtornos de aprendizagem podem trazer prejuízos à qualidade de vida das pessoas, levando a um fraco desempenho nos estudos, à evasão escolar, à depressão e ao desemprego. Embora não tenham cura, é sabido que uma intervenção precoce e bem estruturada pode reduzir a intensidade de seus sintomas. 

O senador Paulo Paim (PT-RS) homenageou Camata, que foi assassinado em 2018.

— Um homem que tratava a todos com uma diplomacia e carinho, que pouco vemos hoje.

Fonte: Agência Senado

O SECRASO/RJ segue atento às movimentações parlamentares de interesse da Categoria.

Sindicato das Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado do Rio de Janeiro

RUA ARAÚJO PORTO ALEGRE, 70

EDIFÍCIO PORTO ALEGRE - 901 A 905

CENTRO - RIO DE JANEIRO

CEP.: 20.030-015

(21) 2240-1735

Site desenvolvido por Marcos Pimenta